www.fcv.org.br

Artigos

11/07/2018 - 13h18m

Versão para impressão
Enviar por e-mail
O Hospital do Câncer de Muriaé da Fundação Cristiano Varella em parceria com a Associação de Câncer de Boca e Garganta (ACBG) e a empresa Atos Medical, realizou no dia 10 de julho de 2018 o evento baseado no Julho Verde que traz à tona a conscientização para prevenção sobre os tumores de cabeça e pescoço, que atingem boca, língua, palato mole e duro, gengivas, bochechas, amígdalas, faringe, laringe, esôfago cervical, tireoide e seios paranasais. 

O #JulhoVerde divulga informações sobre esses tipos de cânceres, que têm como principais fatores de risco o tabagismo, o consumo de álcool e as infecções por HPV. São cerca de 10 mil mortes por ano no país, só para os cânceres de laringe e cavidade oral. Os sobreviventes enfrentam perdas significativas na qualidade de vida durante e após o tratamento.

Em 2018, o tema escolhido para o #JulhoVerde é "Toda voz merece ser ouvida" já que, na maioria dos casos, o tratamento compromete a fala do paciente. Independente da modalidade terapêutica escolhida (cirurgia, radio e/ou quimioterapia), a doença causa sequelas psicológicas e funcionais irreversíveis, que prejudicam a qualidade de vida do paciente.

Pelo segundo ano consecutivo, o Hospital do Câncer de Muriaé participou da Campanha Nacional de Prevenção do Câncer de Cabeça e Pescoço, realizando ações nas redes sociais. Esse ano, a Fundação decidiu complementar a campanha, e realizou um evento voltado para o tema desse ano. Os cirurgiões de cabeça e pescoço, Dr. Luiz Pereira e Dr. Sebastião Maurício, e a equipe multiprofissional (fonoaudiologia, psicologia, odontologia, nutrição, fisioterapia, serviço social e enfermagem), abordaram assuntos de extrema importância para os presentes.

No final do evento, aconteceu a primeira apresentação em público do Coral Nova Voz. Esse coral, idealizado pela fonoaudióloga do hospital, em parceria com a Daniela Abreu da empresa Atos Medical, é composto por pacientes laringectomizados totais que utilizam a prótese traqueoesofágica e que fazem tratamento na Fundação. O coral foi criado com o objetivo de ajudar os pacientes na recuperação e a levantarem a autoestima, mas principalmente, superar suas limitações, como por exemplo, a falta da fala. O evento foi um sucesso e não teve que não se emocionou com a apresentação dos guerreiros que foram aplaudidos de pé.

O objetivo do evento realizado pelo Hospital do Câncer de Muriaé, foi de alertar sobre os fatores de risco, muito presentes entre a população brasileira, e falar da importância do diagnóstico precoce pois, as chances de cura são maiores se a doença for detectada no início.