www.fcv.org.br

Artigos

06/11/2017 - 10h46m - Atualizado em 08/11/2017 - 09h51m

Versão para impressão
Enviar por e-mail
Depois do Outubro Rosa, iniciativa voltada para a conscientização sobre o câncer de mama, o que mais afeta as mulheres, deu início nesse mês, o Novembro Azul, campanha destinada à prevenção do câncer de próstata.

Segundo estimativas do Instituto Nacional do Câncer (Inca), neste ano devem ser registrados 61,2 mil novos casos de câncer de próstata no Brasil. Dados do Ministério da Saúde indicam que 14.484 homens morreram em decorrência da doença no país em 2015. No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens, atrás apenas do câncer de pele não melanoma.

De acordo com o Inca, o câncer de próstata é considerado um tumor da terceira idade, já que cerca de três quartos dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos. Dados da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) mostram que 20% dos pacientes são diagnosticados em estágios avançados da doença, o que faz com a taxa de mortalidade chegue a 25% dos pacientes.

O Inca alerta que alguns desses tumores podem crescer de forma rápida, espalhando-se para outros órgãos. A grande maioria, porém, cresce de forma tão lenta, levando cerca de 15 anos para atingir 1 cm³, que não chega a dar sinais durante a vida, nem ameaçar a saúde do homem.

Em setembro, o Inca lançou uma cartilha que trata de aspectos gerais do câncer de próstata e aborda possibilidades e limites para detecção precoce, fatores que podem aumentar o risco da doença, além de sinais e sintomas do tumor.

Clique aqui e acesse a cartilha 'Câncer de Próstata: Vamos falar sobre isso?'

Fonte: Instituto Nacional do Câncer (Inca)